Você sabe se os seus colegas de trabalho confiam em você? Você tem colegas de trabalho em quem não pode confiar? Já viu algum colega ser despedido por falta de confiança?

 

A “confiança” é um conceito tão simples e importante, mas, porém, tão negligenciado nos dias atuais. Quando trabalhei em um projeto na cidade de São Paulo, lembro-me da história de um funcionário que frequentemente se atrasava para reuniões.

 

Em todo atraso, seus colegas recebiam a mesma desculpa. Antes mesmo de sair de casa, já sabendo que iria atrasar, ele ligava no escritório e dizia: “estou aqui preso no transito, vou me atrasar uns 40 minutos”. Toda vez, a mesma desculpa, e as reuniões do dia eram adiadas em 40 minutos. Isso se repetiu por diversas vezes, até o dia em que realmente choveu muito forte e de maneira inesperada, e ele realmente ficou preso no transito! Nesse dia o atraso foi maior do que 1 hora.

Como será que era o nível de confiança neste funcionário, e como será que ficou a confiança dos seus colegas depois deste incidente? Com certeza o nível de confiança ficou muito baixo, comprometendo promoções e podendo provocar uma demissão.

 

Você pode não enfrentar um problema destas proporções no seu ambiente de trabalho (e se estiver enfrentando, por favor, me conte… pode vir a ser a história de um outro artigo), mas provavelmente deve enfrentar outros tipos de problemas que podem envolver a falta de confiança na sua equipe, nos seus colegas ou superiores.

 

Por isso, eis que faço o seguinte questionamento:
como podemos construir confiança no ambiente de trabalho?

 

A confiança deve ser construída diariamente, através de ações que reforçam nossos discursos. Neste exemplo, a primeira coisa que ele deveria fazer seria parar de colocar “a culpa no trânsito”, e assumir a responsabilidade pelos seus atrasos. Seria muito mais bonito dizer “atrasei porque não me planejei bem hoje, mas irei sair mais cedo da próxima vez”, do que todos os dias simplesmente “colocar a cultura no transito”. Diferentemente da segunda afirmação, na primeira nós estamos assumindo a responsabilidade pelos nossos próprios atos. A responsabilidade é nossa.

 

Se o funcionário começasse a assumir a responsabilidade por seus atos, intuitivamente ele começaria a mudar seus atos e comportamentos para evitar repetir os mesmos erros. Agora, como ele coloca a culpa “no transito”, se torna mais difícil iniciar um processo de mudança no sentido de construir mais confiança com os colegas de trabalho. É mais fácil colocar a culpa “nos outros”, não? Porém, a saída mais fácil no curto prazo nem sempre é a melhor saída no longo prazo.

 

Logo a seguir, vou deixar seis dicas de como você pode fazer para ser uma pessoa mais confiável no ambiente de trabalho:

 

  1. Assuma total responsabilidade pelos seus atos
    (e também da sua equipe);
  2. Não prometa coisas que você não pode cumprir;
  3. Aprenda a dizer “não” para as coisas que você não acredita;
  4. Defina metas e prazos que sejam desafiadores e atingíveis;
  5. Negocie com as pessoas para que seja possível entregar o planejado;
  6. Mostre diariamente que “promessa é dívida”, e honre com todos os seus compromissos. Nesse sentido, você irá aprender que simplesmente “falar não” para algumas coisas irá ajudar muito!


Nós sentimos que não podemos confiar em alguém quando a pessoa diz “eu gostaria de poder fazer isso”, mas sentimos confiança quando as pessoas dizem “você tem a minha palavra” e, posteriormente, elas cumprem a palavra! Isso é conquistar confiança.

 

Hoje, o mundo está carente de pessoas e organizações nas quais possamos confiar. Existe falta de confiança nas equipes de trabalho, existe falta de confiança nas empresas para com seus clientes (basta ver a lista de valores disponíveis no site que não se concretizam em realidade).

 

Esse fato pode ser uma ameaça ou uma oportunidade, depende de como você lida com essa questão no seu dia a dia. Para uma empresa, confiança pode significar a manutenção de mais clientes no longo prazo, para as pessoas, confiança pode significar crescimento pessoal e profissional, seja no atingimento de metas (ex.: equipe mais coesa), seja em oportunidades de carreira (ex.: visibilidade e aceitação interna).

 

Reflexão

  • Qual será o nível de confiança entre as pessoas na sua equipe?
    E na sua Empresa?
  • Como podemos construir confiança entre essas pessoas?
  • Qual o benefício de construir maior confiança?

 

 

Pedro Ernesto Paro

Fundador e idealizador da Trustin – Culture That Drives Performance. Especialista em Evolução Organizacional, Mestre em Transformação Organizacional e Engenheiro de Produção pela USP. Especialista em Estratégia pela Universidade da Virgínia (USA), Finanças pela Universidade de Melbourne (Austrália) e Black Belt Lean Six Sigma pela UNICAMP. Somada à formação acadêmica, possui também experiência abrangente liderando grandes Projetos de Transformação, tendo já atuado em diferentes indústrias e empresas de serviços, nacionais e multinacionais, de médio e grande porte.

 

 

Quer receber mais conteúdos?